Blog

4 teorias de segurança da informação para aprender melhor

jan 17, 2020, 17:42 by Comunicação Aplex

ImagemPost

Se você já precisou ensinar alguém da sua equipe os princípios básicos de segurança da informação, principalmente para que sua equipe possa informar seus clientes precisamente, sabe que isso não é tarefa tão fácil. Quem não está em contato com a TI tende a ter problemas para registrar novas informações sobre o assunto e as esquece rapidamente. Também nem sempre vê sentido nos exercícios. Em suma, o treinamento nem sempre é eficaz. 

Treinamento e retenção eficazes são pontos críticos na cadeia corporativa de cibersegurança. Como em outros campos da educação, a psicologia da memória – padrões conhecidos de memorização e reprodução de informações – é útil no treinamento em cibersegurança. Aqui estão quatro truques que podem melhorar a retenção dos conteúdos aprendidos. 

 

A Curva do Esquecimento de Ebbinghaus 

 

O psicólogo Hermann Ebbinghaus descobriu que esquecemos até 60% das informações que recebemos dentro da primeira hora. Dez horas após a sessão de aprendizado, a memória retém 35% dos dados. Seis dias depois, cerca de 20% permanecem, e a partir daí a curva entra em um platô estável – sobre o que deve ser retido mesmo depois de um mês. 

Ebbinghaus continuou seus experimentos para demonstrar que a repetição do conteúdo memorizado reduzia a taxa de esquecimento e que mais repetições levavam a uma melhor captura de informações. Nossa conclusão é que transmitir novas informações uma vez não é suficiente para o treinamento adequado. A melhor maneira de memorizar é por meio da repetição, usando o método que Ebbinghaus desenvolveu com base em seus testes. 

 

O efeito da reminiscência 

 

Outro psicólogo experimental, Philip Ballard, descobriu que as pessoas reproduzem melhor as informações dois a três dias depois de aprendê-las do que imediatamente depois do aprendizado. Seu experimento foi muito simples: ele deu material para os participantes do teste memorizarem e pediu que eles o reproduzissem imediatamente e depois de alguns dias. 

Nós não recomendamos dar testes aos empregados logo após uma aula, por exemplo. 

 

A teoria da Interferência 

 

Obviamente, seria ótimo fornecer aos funcionários tudo o que eles precisam saber em apenas uma lição. Infelizmente, ela não será muito eficaz. A informação que pode ser espremida na memória humana de uma só vez é limitada por um fenômeno que os psicólogos chamam de Interferência

A questão é que para aprender deve existir intervalos, se não irão interferir um no outro. As informações antigas atrapalham no armazenamento de novas ou novos conteúdos fazem com que os alunos esqueçam as informações antigas. 

Concordamos que é uma boa ideia manter intervalos entre lições sobre diferentes tópicos. 

 

O efeito de posição serial 

 

O primeiro e o último itens de qualquer série de estímulos são memorizados de maneira mais eficiente. Para nós, o importante é que o efeito seja válido para qualquer tipo de material de aprendizagem: textos, vídeos ou até cartas de trabalho. Obviamente, as informações mais importantes devem ser apresentadas no início do curso ou da lição e próximo ao final. 

No entanto, o efeito não se manifesta normalmente se a lição contiver gatilhos emocionais. Nesse caso, a lembrança é pessoal, não necessariamente previsível. 

Naturalmente, a Kaspersky consultou a psicologia do comportamento, a captação de informações e a teoria do aprendizado na criação da solução Kaspersky Automated Security Awareness Platform em que empresas de qualquer tamanho podem usar para ensinar habilidades de cibersegurança a seus funcionários. 

 

Fonte: Kaspersky

Compartilhe nas redes